sábado, 1 de abril de 2017

No metro distanciou-se de si e olhou para as pessoas. Para os olhos, a inclinação da cabeça, mãos. 
Os olhos mostravam uma tristeza profunda, cansaço, ansiedade. As unhas das mãos eram roídas enquanto a respiração ganhava um ritmo ofegante. 
Fim de viagem. 
Saiu para o mundo, para a poeira. 
Arrumou meticulosamente quarenta tubos de sal durante a passagem da música My way, com uma versão remix.
Apeteceu-lhe chorar.
Chorou.
Ninguém viu, mas por dentro afogou-se.

{Apontamento 3.} 

Nenhum comentário: