terça-feira, 20 de maio de 2008

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Anamnese

É uma plataforma de informação sobre as artes plásticas em portugal e sobre a actividade dos artistas portugueses no contexto internacional, através de uma cronologia de eventos organizados desde 1993, agregando vistas das exposições e excertos de textos de catálogo e impremsa. Apresenta ainda a secção a-z com mais de quatrocentos portfólios de artistas e a secção 1a+1p+1a, onde autores estrangeiros escrevem sobre uma obra seleccionada de artistas potugueses.

Vale a pena dar uma vista de olhos...

Voltei

Eu sei que tenho andado desaparecido do mudo cibernético blogal, mas às vezes temos aquelas alturas em que precisamos que os dias tenham 48 horas, na verdade acho que precisava que tivesse umas 100 eheh... até já

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Homenagem - Pina Bausch





Tive muita pena de não poder assistir a nenhum dos espectáculos de Pina Bausch em Lisboa e por isso faço-lhe aqui uma pequena homenagem, a ela, que consegue alcançar tantas vezes o belo que todos nós procuramos.

sexta-feira, 2 de maio de 2008

MAIO


Este é o meu mês eheh...

O que se diz dele:


Maio é o quinto mês do calendário gregoriano e tem 31 dias. O seu nome é derivado da deusa romana Bona Dea da fertilidade. Outras versões apontam que a origem se deve à deusa grega Maya, mãe de Hermes.
Sob o
Antigo Regime francês, era de costume plantar um « Maio » ou « árvore de Maio » na honra de alguém. No Condado de Nice raparigas e rapazes « giravam Maio » ao som de pífano e tambor, ou seja dançar as rondas de Maio ao redor da árvore de Maio.


Na idade média, a maioria das pessoas casava-se no mês de Junho (início do Verão), porque, como tomavam o primeiro banho do ano em Maio, em Junho, o cheiro ainda estava mais ou menos... (mais para menos.......argh!!!!)Entretanto, como já começavam a exalar alguns "odores", as noivas tinham o costume de carregar bouquets de flores junto ao corpo, para disfarçar.Daí temos em Maio o "mês das noivas" e a origem do bouquet.Os banhos eram tomados numa única tina, enorme, cheia de água quente.O chefe da família tinha o privilégio do primeiro banho na água limpa.Depois...sem trocar a água (reparem só que lindo!), vinham os outros homens da casa por ordem de idade, as mulheres, também por idade e, por fim, as crianças.Os bebés eram os últimos a tomar banho, portanto! Quando chegava a vez deles, a água da tina já estava tão suja que era possível perder um bebé lá dentro. É por isso que existe a expressão em inglês "don't throw the baby out with the bath water", ou seja, literalmente "não deite fora o bebé juntamente com a água do banho", que hoje usamos para os mais apressadinhos...