sexta-feira, 7 de março de 2008

Domingo em Miguel Bombarda

Foi no domingo passado que a rua Miguel Bombarda se iluminou, se transformou numa rua que trazia para fora das galerias de arte que a povoam a arte. As luzes transformavam a rua dando-nos uma nova visão daquele espaço que pisamos constantemente, a música fazia-nos sentir leves ao andar, homens sem cabeça liam jornais em bancos à beira da estrada, a rua estava inundada de gente, que quase não deixava passar os carros. Por uma tarde inteira aquele micro-espaço encheu-se de vida, e apesar de aglomerado de gente respirava como nunca.
Foi uma tarde em que se sentia no ar a música dos Nouvelle Vague - I´m dancing with myself, sem ela nunca ter lá estado.

Alguns artistas que abriam as galerias:

Eduardo Gomes (Zona) - Galeria Serpente

Malefícios da Primavera (uma exposição com várias assinaturas) - Galeria sala maior

Paulo Robalo (XIII Segundos) - Galeria Arthobler

Vera Mota (Kri :S) - Galeria Fernando Santos

Sebastien Le Gal (bordering on turf) - Galeria Graça Brandão

Ana Cardoso (Sonambulism) - Sala Post - ite

Destaca-se o trabalho de Pascal Nordmann "Lésprit des lieux", na galeria Por Amor à Arte.

Um lápis desenha sozinho numa parede branca ou numa folha de papel. Sozinho é uma maneira de dizer: há um motor de brinquedo ligado, um arame ligado a esse motor, e o lápis atado ao arame. O motor trabalha, o lápis desenha. As instalações de Pascal Nordmann controem ateliers muito próprios onde os lápis trabalham sozinhos, incessantemente, como se o desenho que é próprio dos artistas (e, já agora, a escrita que é própria dos escritores) não necessitasse de um corpo, um espírito para existirem." Luísa Soares de Oliveira, 2006





Aconselho a quem puder, a ir ver....

Nenhum comentário: