domingo, 9 de dezembro de 2007


Do cume das árvores olhamos

as montanhas e os seus

picos rochosos,

não sabemos como lá chegar,

subitamente uma brisa,

por vezes mais ventosa,

leva-nos passo a passo,

até esse sitio que só o nosso

olhar, até à pouco, apenas

alcançava.

Do pico das montanhas

olhamos agora o cume

das árvores e vangloriamo-nos,

orgulhosos da vitória pelo

esforço que fizemos.

No cume desse olhar que agora

apenas alcança, através de

uma névoa, o cume das antigas

árvores de onde partimos,

procuramos novos olhares.

Alguns voam e caiem num abismo,

por não saber gerir o vento,

outros aprendem passo a passo

como se voa.

Aprendem a gerir os ventos,

as asas, os

passos antigos pela terra,

avistando assim novas montanhas,

sabendo como regressar ao

cume antigo da árvore.

Nenhum comentário: